Prefeitura quer iniciar projeto que prevê retirada de camelôs do Alecrim

59c44337bf876a361a4ba741
Semsur vai apresentar a ambulantes o esboço do projeto de reurbanização do bairro

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) irá se reunir, na próxima segunda-feira (25), com comerciantes informais que ocupam as calçadas da Avenida Presidente Bandeira e das ruas Manoel Miranda e Leonel Leite, no bairro comercial do Alecrim, para apresentar o primeiro esboço do projeto de reurbanização do maior centro comercial de Natal. De acordo com a Prefeitura de Natal, a medida tem por objetivo a reconstrução das vias e do passeio público, bem como a retirada dos ambulantes destas três localidades.

O encontro vai acontecer no auditório no Museu de Cultura Popular, na Ribeira, às 9h, onde será iniciado o trabalho de cadastramento dos trabalhadores informais e dos produtos comercializados. A ideia é realojá-los em novos espaços comerciais, mas a prefeitura ainda não apresentou o plano final para readequação dos ambulantes.

Ainda segundo a Semsur, o plano é, a partir da reurbanização, devolver as calçadas aos pedestres. O projeto prevê reconstrução das calçadas da Avenida Presidente Bandeira e das ruas Manoel Miranda e Leonel Leite. A prefeitura ainda não informou se pretende estender a retirada dos trabalhadores informais de outras vias, como a Avenida Presidente Quaresma, que também está apinhada de barracas ao longo do passeio público.

A reurbanização do Alecrim foi uma das promessas de campanha do prefeito Carlos Eduardo Alves. Em fevereiro de 2014, por sinal, a Secretaria de Serviços Urbanos se comprometeu a realizar censo sobre as principais necessidades do bairro. Neste mesmo período, a Associação de Empresários do Bairro do Alecrim (AEBA) entregou ao município um projeto de revitalização do bairro. As obras estavam previstas, à época, em R$ 25 milhões.

O projeto prevê mudanças na comunicação visual dos estabelecimentos comerciais, além de alterações na engenharia de trânsito e no mobiliário urbano. Além disso, há também a relocação dos ambulantes que ocupam o camelódromo para uma estrutura que seria erguida na chamada “feira do fogo”, localizada na esquina da Rua Presidente Quaresma com a Avenida Coronel Estevam. A proposta contempla ainda a reforma da Praça Gentil Ferreira, com novas calçadas, paisagismo e vagas de estacionamento.

Contudo, enquanto a revitalização completa não sai do papel, uma das possibilidades para os ambulantes que serão desalojados é a de ocupar as pequenas galerias que serão construídas ao redor do futuro “Outlet 25”, um espaço comercial de dez pavimentos e capacidade para 280 lojas, com previsão de abertura para 2019.

A construtora G25, responsável pelo Outlet, apresentou no início do ano à prefeitura o projeto de pequenas galerias, para micro e pequenos empreendedores, que serão chamados de “PONTOUM”. A primeira unidade será construída na Rua Presidente Quaresma, no coração do bairro do Alecrim. A ideia é inspirada nos grandes centros comerciais de São Paulo, como Bras, Bom Retiro, 25 de março e bairros comerciais paulistas.

O Outlet 25 será construído na Avenida Presidente Bandeira. O estabelecimento será feito em estrutura metálica, totalmente climatizado, dentro do conceito de sustentabilidade. Grandes marcas já reservaram espaço, como Óticas Diniz, Rio Center, PittsBurg, entre outras que ainda não podem ser reveladas. A praça de alimentação terá capacidade para 800 lugares. O Outlet terá 35 mil m² e mil vagas de estacionamento. A expectativa é que o fluxo inicial seja de 45 mil pessoas por dia só na área comercial e, no bairro, 250 mil pessoas. O investimento total é de R$ 55 milhões.

 Novo Jornal

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*