PAULO WAGNER E SANDRA ROSADO FORAM OS DEPUTADOS QUE MAIS GASTARAM DINHEIRO PÚBLICO EM RESTAURANTES E CHOPERIA

Sandra Rosado e Paulo Wagner gastam mais de R$ 100 mil em restaurantes e choperias Parlamentares federais do RN usam dinheiro da Câmara Federal para pagar comidas, bebidas e, até, sorvete.

 IMG_7067 [640x480]

Os deputados federais têm um salário mensal de R$ 26,7 mil e mais auxílios e ajudas de custo que chegam a somar R$ 3 mil. Porém, ainda assim, dois deputados potiguares, Sandra Rosado (PSB) e Paulo Wagner (PV), preferem utilizar dinheiro público para pagar contas em restaurantes e choperias. Cada um utilizou mais de R$ 50 mil da verba indenizatória (que deveria ser utilizada para o exercício do mandato) para gastar com o chamado “fornecimento de alimentação parlamentar”.

Da bancada potiguar na Câmara, Paulo Wagner foi o que gastou mais dinheiro público com alimentação na atual legislatura. Um pouco mais, é bem verdade. Foram R$ 50,6 mil com contas em restaurantes tradicionais de Natal e de Brasília. A churrascaria Sal e Brasa e os restaurantes finos como o Guinza, o Pinga Fogo e o Camarões estão entre os que mais aparecem na lista.

Ao observar a relação de pagamentos, disponível no site da Câmara Federal, é fácil constatar que as contas do deputado federal do PV, candidato à reeleição, ultrapassam a casa dos R$ 130, o que faz a soma mensal passar, facilmente, da casa dos R$ 1 mil. E, detalhe: em julho de 2011, Paulo Wagner ultrapassou a média e chegou a gastar R$ 5,8 mil de dinheiro público com comida.

Nesse mês, o parlamentar, aparentemente, aproveitou o recesso na Câmara Federal para aproveitar a gastronomia potiguar. Foram 77 registros de contas pagas com recursos públicos da verba indenizatória em restaurantes e buffets de Natal. Destaque para o restaurante Pinga Fogo, que recebeu Paulo Wagner em 21 oportunidades, conforme o site da Câmara Federal registrou ao ressarcir o deputado do PV.

Assim como Paulo Wagner, inclusive, a deputada federal do PSB, Sandra Rosado, também candidata a reeleição, parece ser bem fiel a certos estabelecimentos comerciais, principalmente, quando se trata de meses em que a Câmara Federal está em recesso. Em janeiro de 2012, Sandra utilizou cerca de R$ 4,1 mil para pagar contas em “fornecedores de alimentação parlamentar”.

Destaque para as 80 contas pagas por Sandra, obviamente, com dinheiro público, na Candidus Choperia, localizada em Mossoró. Além dessa, a deputada federal utilizou a verba da Casa Legislativa Federal para pagar contas em outras duas choperias neste mesmo mês: a Sudoeste Bar e Restaurante e a Nautilus Beer. Por sinal, neste mês os registros foram tão variados que até o sorvete consumido na Ster Bom, Sandra pagou com a verba indenizatória, conforme comprova o site da Câmara Federal.

Ao todo, a deputada federal do PSB gastou cerca de R$ 50,5 mil de dinheiro público para pagar suas “extravagâncias” alimentícias. As despesas foram registradas, principalmente, em 2012, no segundo ano da atual legislatura, quando Sandra pagou R$ 24,8 mil em contas de restaurantes com dinheiro da Câmara.

É importante lembrar, entretanto, que as despesas registradas no ano passado mostram uma queda considerável na utilização de verba indenizatória para pagar contas em restaurantes. Contudo, tanto Sandra, quanto Paulo Wagner, ainda poderão atualizar até o final deste ano os dados disponíveis no site da Câmara – ou seja, o número pode aumentar.

O Jornal de Hoje pesquisou a utilização da verba indenizatória dos outros seis deputados federais – Henrique Eduardo Alves (PMDB), Fátima Bezerra (PT), João Maia (PR), Betinho Rosado (PP), Felipe Maia (DEM) e Fábio Faria (PSD) – porém, não foi encontrada uma utilização constante da verba como foi percebido nos casos de Sandra e Paulo Wagner.

GASTOS COM DEPUTADOS

Segundo o portal Congresso em Foco, o salário do deputado federal é de R$ 26.723,13 por mês. Além disso, o parlamentar tem direito a uma ajuda de custo no valor de R$ 1.113,46, ao auxílio-moradia de R$ 1,533,33, ao ressarcimento ilimitado de despesas médicas, verba de gabinete para até 25 funcionários, que dá em torno de R$ 78 mil, e mais a chamada verba indenizatória.

Em média, o consumo da verba indenizatória gira em torno dos R$ 33 mil por mês de cada um dos deputados federais. Os gastos são, principalmente, com divulgação parlamentar, passagem aérea e deslocamento. Em 2012, Sandra Rosado, por exemplo, chegou a gastar R$ 20 mil em um único mês com passagens aéreas. Foram, ao todo, 17 viagens entre Brasília e Natal. Só no dia 29, foram registradas três e outras 4 no dia 30, todas no nome da deputada do PSB. Ah, detalhe: de dezembro, quando a Câmara Federal estava em recesso.

JH

 

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*