Operação contra o governador Robinson é resultado da delação da ‘Dama de Espadas’

d4b62bfdcd1bdd25b662d867cd47fa9b
Rita das Mercês, ex-procuradora da Assembleia Legislativa do RN, entregou tudo que sabe ao MPF

A Operação Anteros (VEJA AQUI), detonada pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira (15), que tem como alvo principal o governador Robinson Faria (PSD), é o primeiro resultado prático da delação premiada da ex-procuradora da Assembleia Legislativa do Estado, Rita das Mercês. Ela negociou com o Ministério Público Federal (MPF), para atenuar a situação delicada situação junto a Justiça.

Ritinha, como é conhecida, foi presa em agosto de 2015 pela Operação Dama de Espadas (VEJA AQUI), acusada pelo Ministério Público Estadual (MPRN) de comandar esquema criminoso que desviou pelo menos R$ 5 milhões da Assembleia Legislativa, através de “funcionários fantasmas”.

A delação de Ritinha não chegou ao conhecido da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ) do Estado, uma vez que ela preferiu relatar tudo que sabe ao MPF. Ritinha teria receio de que houvesse interferência no Ministério Público do RN.

A delação de Rita foi negociada em acordo conduzido pelo procurador da República Rodrigo Teles, a quem Rita narrou crimes na administração dos três poderes do Rio Grande do Norte e deixou claro que não é ela a dama de espadas. Ao entregar o ExecutivoJudiciário e Legislativo, a ex-procuradora da Assembleia Legislativa sabia que inevitavelmente o foro seriam os tribunais superiores, já que perante o STJ respondem o governadores e desembargadores.

Pelo menos um membro do Tribunal de Justiça do RN foi citado na delação de Ritinha.

Com a negociação direta com o MPF, as instâncias locais ficarão agora obrigadas a seguir todos os procedimentos que vão derivar do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Defato

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*