O ano começa com a classe política potiguar devendo promessas não cumpridas

Dizem que a passagem do Ano-Novo serve, além do brinde com champgne, para traçar projetos e assumir compromissos para o ano que está começando. Via de regra, projetos e compromissos para serem cumpridos.

A coluna, sem querer ser chata no primeiro dia de 2014, vai abrir o ano cobrando o que os agentes públicos prometeram nos últimos anos e, por falha da palavra (o homem só tem uma), deixaram de cumprir. Vamos a cobrança:

1 – A reforma e ampliação do Estádio Manoel Leonardo Nogueira, a principal praça de esportes de Mossoró. Promessa da governadora Rosalba Ciarlini (DEM), que se diluiu nos fogos de artifícios do fim de ano.

2 – A duplicação da BR-304, entre Natal/Mossoró/divisa com o estado do Ceará, prometida pelo presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves (PMDB), e que até aqui não passou de embromação.

Nesse caso, um agravante: na propaganda do PMDB, na televisão, Henrique chegou a exibir imagens da rodovia já duplicada, quando, na verdade, a obra sequer tem projeto elaborado.

3 – As 500 Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) no País, prometidas na campanha de 2010 pela então candidata a presidente Dilma Rousseff (PT). Não foi cumprida 10% da promessa, com um agravante em Mossoró: o Governo Federal se negou, até aqui, a colaborar para o funcionamento da UPA do bairro Belo Horizonte, que foi construída com recursos próprios do município.

Citamos, aí, promessas feitas para o município, estado e país. Mas, tem uma cobrança maior: a construção do novo aeroporto de Mossoró.

A luta iniciada neste canto de página, conseguiu avançar em 2013, arrancando da classe política potiguar a promessa de que o projeto estaria na ordem do dia.

O ápice veio com a decisão do ministro secretário da Aviação Civil, Moreira Franco (PMDB), de enviar a Mossoró uma equipe da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para vistoriar o terreno que receberia o aeroporto.

De imediato, Henrique Alves assumiu a paternidade da “criança”, como se a luta fosse dele isoladamente. Por isso, como Moreira Franco não cumpriu a promessa e por aqui não apareceu ninguém da Anac, Henrique também deve assumir a falha.

O fato é que as promessas foram feitas e depois esquecidas.

Porém, daqui, não abriremos mão de continuar cobrando, principalmente neste ano de eleições, para que os agentes políticos, candidatos, não voltem à praça pública requentando compromissos do passado.

2014 é um ano de prestação de contas, com o cidadão, pronto, para fazer o seu julgamento, devidamente armado com o título de eleitor, instrumento capaz de promover todas as transformações.

Fonte: JDF

Um comentário para O ano começa com a classe política potiguar devendo promessas não cumpridas

  • GUAMARE@DEOLHO.COM  diz:

    Acreditamos que o agente político do Município de Guamaré, sr. HÉLIO WILLAMY MIRANDA DA FONSECA, cumpriu todas suas promessas feita na campanha do ano passado, porque o editor do blog não mencionou nenhuma falha do mesmo, por isto achamos que cumpriu todas as promessas.

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*