Ministério Público Federal vai investigar carona de Henrique em avião da FAB

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, presidente estadual do PMDB, será investigado pelo Ministério Público Federal por ter dado carona a parentes para ver a final da Copa das Confederações no Maracanã em avião da Força Aérea Brasileira (FAB), no último domingo.

A Procuradoria da República no Distrito Federal decidiu nesta sexta-feira abrir um procedimento para investigar a suposta irregularidade na viagem do presidente da Câmara. O procurador Frederico de Carvalho Paiva quer saber se houve improbidade administrativa do presidente da Câmara.

Henrique Alves reconheceu na quarta-feira que foi um equívoco ter dado carona a sete pessoas em um avião da FAB para assistir ao jogo da seleção brasileira no Maracanã, no último domingo. Em nota, ele informou que vai pagar os custos da viagem. Segundo assessoria, o valor calculado em R$ 9,7 mil em passagens aéreas foi depositado na conta do Tesouro Nacional.

Na seman que vem, o Ministério Público Federal deve decidir se abre investigação também sobre as viagens do ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho, e do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Renan Calheiros também usou avião da FAB em compromisso pessoal. Renan requisitou o voo da FAB para ir de Maceió a Porto Seguro no dia 15 de junho, um sábado, onde participou de um casamento. No dia seguinte, o voo da FAB levou o presidente do Senado de Porto Seguro a Brasília. Ontem, ele voltou atrás e afirmou que irá ressarcir R$ 32 mil aos cofres públicos.

Nesta sexta-feira, o jornal Folha de S. Paulo informou que, para assistir à final da Copa das Confederações, o ministro da Previdência, Garibaldi Alves, usou um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) na viagem entre o Ceará – onde cumpria agenda oficial – e o Rio de Janeiro. Garibaldi também voltou atrás e anunciou nesta noite que irá devolver o valor aos cofres públicos.

Henrique usou um avião da FAB para levar a noiva, parentes dela, enteados e um filho ao jogo da seleção no Maracanã no domingo. Um jato C-99 da FAB veio a Natal, terra do deputado, buscar os passageiros. Decolou às 19h30 de sexta-feira rumo ao Rio de Janeiro e retornou no domingo, às 23h, após o jogo.

Ao pedir o avião, Henrique informou que 14 passageiros poderiam viajar. Pegaram carona com o deputado sete pessoas: sua noiva, Laurita Arruda, dois filhos e um irmão dela, o publicitário Arturo Arruda, com a mulher Larissa, além de um filho do presidente da Câmara. Um amigo de Arturo entrou no voo de volta.

Henrique disse, por meio da assessoria, que “solicitou” o avião porque tinha encontro com o prefeito Eduardo Paes (PMDB), no sábado. “Como havia disponibilidade de espaço na aeronave, familiares acompanharam o presidente em seu deslocamento”, disse. A reunião não foi informada pela Câmara. A assessoria de Paes enviou a agenda oficial dele no sábado, e não há menção a Alves. Os dois almoçaram num restaurante, junto com Aécio Neves (PSDB-MG).

Fonte: Jornal de Hoje

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*