Mesmo sem regulamentação da Câmara, Uber começa a funcionar em Natal

fc_camara-municipal-sao-paulo-proibe-aplicativo-uber_300420150001

Quem precisar de transporte particular para se locomover em Natal poderá contar, a partir de hoje, com o serviço da Uber, empresa de tecnologia que conecta motoristas e usuários pela proximidade. Para utilizar o sistema, basta fazer o download do aplicativo gratuitamente e preencher o cadastro. Ao chamar o Uber, a expectativa de que um veículo cadastrado chegue em cinco minutos até o usuário.

Presente em mais de 500 cidades no mundo, o serviço já existe em 17 cidades brasileiras, sendo Natal a 18ª do país e a 4ª do Nordeste. O cadastramento de motoristas começou há alguns dias na capital potiguar e o serviço entrará em operação a partir das 14 horas de hoje, segundo o diretor de comunicação da empresa Fábio Sabba, que visitou ontem a redação do NOVO para contar a novidade. O sistema é todo informatizado. Com motorista e usuário cadastrados, ambos avaliam um ao outro ao final da viagem pelo próprio aplicativo. “O usuário precisa dar uma nota de 0 a 5 e o motorista precisa receber no mínimo 4.7”, explica o diretor.

Essa avaliação permite que o serviço tenha qualidade. O motorista que não agradar aos usuários será excluído do sistema. Isso permite que a empresa tenha uma referência atualizada sobre ambas as pessoas. “Tudo pode ser monitorado pelo usuário. Ele vê onde o motorista está, a foto do motorista, o percurso que está sendo feito. Se perceber falha no percurso pode informar pelo aplicativo”, diz Fábio Sabba.

O condutor do veículo também tem acesso a essas informações do passageiro. Esse mecanismo garante mais segurança a ambos. Um motorista não poderá, por exemplo, estar cadastrado e mandar outra pessoa fazer a viagem. “Se o passageiro perceber que não é o motorista que apareceu no cadastro, pode denunciar e isso é grave, É motivo de exclusão do motorista”, ressalta Sabba. As chamadas estão disponíveis apenas em Natal, mas é possível que o destino final seja em outro município, ou até outro estado.

E o pagamento da viagem também é informatizado não necessitando de dinheiro em espécie. Cadastrando um cartão de crédito no aplicativo, a cobrança é feita no final da corrida automaticamente e o passageiro ainda pode pedir uma análise do caso para a empresa, por meio do seu site oficial, caso aconteça algum problema na viagem.

Falando em dinheiro, o serviço não diferencia tarifas como no sistema de taxis que trabalham com bandeiras 1 e 2. No Uber, a distância e o tempo da viagem são contados separadamente em qualquer horário do dia. Esse valor é medido pelo preço de chamada no aplicativo (R$ 2,50), mais R$ 1,20 por quilômetro rodado e mais R$ 0,17 a cada minuto de viagem. Se esta soma for menos que R$ 6,00 a corrida será fechada nesse valor.

O modelo de Uber que está funcionando em Natal é o UberX, um serviço mais barato da empresa, mas com motoristas selecionados pela empresa que passaram por análise de antecedentes criminais, nas esferas municipais, estadual e federal, que têm seguro para cobertura ao passageiro, habilitação necessária para dirigir e carro com modelo de 2008 em diante, quatro portas e ar condicionado.

Legislação

O Uber está funcionando com respaldo na Constituição federal, previsto na lei federal que prevê a Política Nacional de Mobilidade Urbana – PNMU (Lei Federal 12.587/2012). Segundo o diretor de comunicação da empresa, Fábio Sabba, todos os impostos são pagos pela operação do serviço, mesmo sem lei municipal específica, no caso de Natal.

Além disso, ele ressalta que uma série de decisões judiciais confirmam a legalidade da atividade. Ele relembra a Ministra do Supremo Tribunal de Justiça, Nancy Andrighi, declarou que as tentativas municipais de proibir os serviços prestados pelos motoristas parceiros da Uber são inconstitucionais, e que o serviço de táxi, de transporte público e individual, é diferente do transporte privado individual realizado pelos motoristas parceiros da Uber.

Fábio Sabba diz que o Uber vem para suprir uma demanda que não é atendida pelos sistemas tradicionais de transporte. “Vem para suprir o transporte em área onde não existe transporte individual, cobrir linhas deficientes e tudo de forma fácil para o usuário, preço justo, com o objetivo de fazer as pessoas deixarem seus carros em casa”, relata.

Novo Jornal

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*