Investidor diz que micro-shopping do Alecrim deve ser aberto até dezembro

59cad9c2bf876a361a4c318c
Minás Aravanis, diretor financeiro do G25: modernização

O Alecrim ganhará, no próximo mês de dezembro, uma estrutura comercial que promete ser a primeira de uma série que mudará o bairro. O empreendimento já tem nome: é o micro-shopping Pontoum, que contará com 270 espaços comerciais. A expectativa da empresa é começar as obras até o início de outubro. O serviço, que nada mais é do que consertos de telhados, pisos, infiltrações em prédios já existentes na Rua Dr. Luiz Dutra – uma continuação da Avenida Presidente Quaresma.

Diretor financeiro do G25, um grupo formado por sete investidores de São Paulo, o empresário Minás Aravanis afirma que essa é a chance de “modernizar” o Alecrim, tradicionalmente conhecido pelo seu perfil comercial. Aliás, esse perfil foi o que chamou a atenção dos investidores paulistas. Eles acreditam que podem impulsionar o Alecrim ao nível, guardadas as devidas proporções, a pontos paulistanos tradicionais como o Bras ou a Rua 25 de Março.

“É um bairro centralizado, que já é comercial e é o maior bairro comercial de Natal. Aliás, eu diria que é o único bairro comercial do RN com o potencial de crescimento”, disse Aravanis, em entrevista ao NOVO. “Precisamos modernizar o bairro”, comentou o empresário.

Ele estima que cada empreendimento levantado no bairro pelo G25 abrigará até 600 lojas. Serão dois micro-shoppings, como o da Rua Dr. Luiz Dutra, e mais um outlet de dez andares. Esse será o grande empreendimento do grupo paulista. Minás Aravanis destaca que as lojas estão abertas para os camelôs que atualmente trabalham no bairro, ocupando as calçadas. Para ele, é a chance dos vendedores informais saírem da “ilegalidade”.

“A estrutura é para quem quiser sair da ilegalidade. Tanto que damos um suporte para quem quiser participar do processo, encaminhando para cursos no Sebrae. Estamos montando um canal de vendas que vai favorecer não só o outlet quanto os micro-shoppings”, afirmou Aravanis.

Ele adianta que o grupo vai investir em divulgação não só para os empreendimentos, mas também para as lojas. A ideia é que os lojistas e seus negócios estejam constantemente na mídia, com publicidades e promoções para atrair a clientela. Além disso, os quesitos segurança, acessibilidade e legalidade dos negócios estarão garantidos, promete os investidores.

Apesar de ter a disponibilidade aos camelôs alecrinenses, o G25 está abrindo espaço também para pequenos comerciantes e artesãos para adquirirem seus espaços. Os interessados devem procurar informações no Sindicato do Comércio Varejista, afirma comunicado do G25 enviado à imprensa nesta última segunda-feira.

Segundo Minás Aravanis, os espaços já estão sendo passados aos interessados, a preço popular e acessível. Para o empresário, se os ambulantes do bairro querem crescer, eles precisam sair das calçadas. “Há uma grande chance que eles [camelôs] tenham um grande crescimento. Na rua ninguém cresce, o fato é esse”, argumentou. “Estamos deixando a disponibilidade deles para os camelôs, mas cabe a cada um saber o que deseja. Estamos abrindo as portas para eles”, completou.

A expectativa é ainda construir um segundo micro-shopping no Alecrim. Mas ainda não há bem uma área definida para ele. O G25 tem interesse em erguer o empreendimento onde atualmente é o Teatro Municipal Sandoval Wanderley, na Avenida Presidente Bandeira. Mas o espaço ainda é alvo de polêmica pelo valor histórico que possui. Neste ano, em julho, vereadores aprovaram o projeto de lei que transforma o teatro em patrimônio imaterial da cidade.

Mas ainda há a expectativa de que seja autorizado, também pelo Legislativo, o leilão do local pelo Município. O G25 entraria, assim, na briga para adquirir o terreno em um leilão público. “É um área, sem dúvida, interessante. Mas deixamos claro que dependemos da decisão da Câmara Municipal. Se aparecer uma pequena chance vamos tentar”, explicou Minás Aravanis.

Outlet é até 2020, diz diretor de grupo investidor

O empresário Minás Aravanis, que é diretor financeiro do G25, informa que o projeto de modernização do Alecrim visa valorizar o centro comercial, criando oportunidades e promovendo grandes mudanças estruturais no bairro. A localização do Pontoum, o primeiro microshopping do gênero, é estratégica por estar a 100 metros do futuro “Outlet 25 Demais!”, projeto que será erguido no Alecrim. Esse será a maior construção do projeto do grupo. Será um edifício de dez andares, com cerca de 110 lojas em cada pavimento. Além disso, ainda serão 1.000 vagas de estacionamento.

A ideia é que as obras comecem até o final deste ano, com as licenças ambientais junto à Prefeitura de Natal todas liberadas. A partir de então, serão de 18 a 22 meses de serviços. “Dependemos da Prefeitura. Acreditamos que até o fim do ano todas as licenças estejam aprovadas e daremos o início. Nesse meio tempo podemos fazer algumas demolições, mas dependemos das licenças. É uma obra de 18 a 22 meses”, esclareceu o diretor financeiro do G25.

A estimativa é que mais de 3 mil empregos diretos e mais 1 mil indiretos sejam criados após a construção, sem contar os postos de trabalho criados durante a obra em si do outlet. Com o projeto de reurbanização do Alecrim, o G25 ainda estima que de 10 mil a 12 mil empregos sejam formados devido ao avanço que ocorrerá no bairro.

No projeto para o Alecrim, a Praça Gentil Ferreira também será reformulada. A proposta é transforma-la em um espaço de convivência. Um obelisco de 50 metros de altura deve ser erguido no local, onde atualmente é o relógio da praça. Será o maior relógio do país. “A ideia é Natal inteira ver o monumento de onde estiver”, afirmou Minás Aravanis.

Semsur se reúne hoje com ambulantes

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) se reúne hoje com 42 ambulantes do Alecrim que atuam na Avenida Presidente Bandeira, entre as ruas Leonel Leite e Manoel Miranda. Na última segunda-feira a pasta tentou se encontrar com os vendedores notificados, mas um tumulto com outras centenas de trabalhadores do bairro impossibilitou a reunião. O secretário Jonny Costa vai apresentar exatamente o projeto encabeçado junto ao G25 aos trabalhadores do bairro.

A ideia é que os ambulantes, atualmente nas calçadas do Alecrim, liberem os espaços para os pedestres e sigam para os micro-shoppings e o outlet. A proposta é confrontada pelos camelôs, que temem ficar sem poder trabalhar após a chamada modernização. A reunião hoje é às 9h, no Museu de Cultura Popular, na Ribeira.

Ontem à tarde a Câmara Municipal aprovou proposta do vereador Sandro Pimentel (PSOL) para convocar o secretário Jonny Costa para debater o assunto em audiência pública, amanhã (28), às 14h.

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*