Histórico das secas no Brasil depois do ano 1500

seca [640x480]
1583/1585 – Primeiro relato da seca nordestina feita pelo padre Fernão Cardin: “…uma grande seca e esterilidade na província e que 5 mil índios foram obrigados a fugir do sertão pela fome, socorrendo-se aos brancos”. Grandes perdas de cana e aipim.
1606 – Região NE
1615 – Região NE
1652 – Região NE
1692/1693 – A capitania de Pernambuco é atingida por “peste”. Frei Vicente do Salvador relatou que indígenas, foragidos pelas serras, reuniram-se em numerosos grupos e avançaram sobre as fazendas das ribeiras.
1709/1711 – Grande seca que atinge a Capitania do Maranhão.
1720/1721 – Seca com gravíssimas consequências sobre as províncias do Ceará e do Rio Grande do Norte.
1723/1727 – Grande seca que matou quase a totalidade dos escravos da região. Segundo Irineu Pinto, fiscais da Câmara pediram ao rei o envio de escravos.
1736/1737 – Região NE
1744/1745 – Grande desnutrição infantil assola a região.
1748/1751 – Região NE
1776/1778 – Seca e surto de varíola na região NE, com alto índice de mortalidade humana e animal (gado bovino) na caatinga. A Corte Portuguesa determina reunião de flagelados nas margens dos rios para repartição de terras adjacentes.
1782 – Censo determina população de 137.688 habitantes atingida por seca.
1790/1793 (1791-1792 ?) – Chamada de “grande seca” pelos velhos sertanejos foi também a seca dos pedintes. Uma Pia Sociedade Agrícola foi criada como a primeira organização de caráter administrativo assistencialista. O governo da metrópole estabeleceu um único corretivo, uma severa proibição ao corte das florestas. Segundo Euclides da Cunha, cartas régias de 17 de março de 1796, nomeando um juiz conservador de matas, e a 11 de junho de 1799, decretava que “se coíba a indiscriminada e desordenada ambição dos habitantes (da Bahia e Pernambuco) que têm assolado a ferro e fogo preciosas matas… que tanto abundavam e já hoje ficam à distâncias consideráveis, etc”.11
1808/1809 – Seca atinge Pernambuco na região do rio São Francisco. Quinhentas pessoas morreram de fome.
1824/1825 – Seca e varíola juntas definem essa grande seca. Campos esterilizados e fome atingem engenhos de cana-de-açúcar.
1831 – A Regência Trina autoriza a abertura de fontes artesianas profundas.
1833/1835 – Grande seca atinge Pernambuco.
1844/1846 – Grande fome. O saco de farinha de mandioca foi trocado por ouro ou prata.

Vítmas das secas de 1877/1878, no Ceará – Brasil
1877/1879 – Uma das mais graves secas que atingiram todo o Nordeste.12 O Ceará, na época, com uma população de 800 mil habitantes foi intensamente atingido. Desses, 120 mil (15%) migraram para a Amazônia13 e 68 mil pessoas foram para outros Estados. A seca foi considerada devastadora: cerca de metade da população de Fortaleza pereceu, a economia foi arrasada, as doenças e a fome dizimaram até ao rebanho. Um registro pictórico existe, uma família de retirantes é fotografada em uma estação ferroviária do Nordeste brasileiro (Ceará).
1888/1889 – Lavouras destruídas e vilas abandonadas em Pernambuco e Paraíba. D. Pedro II criou a Comissão Seca(depois Comissão de Açudes e Irrigação), como resultado cria-se o projeto do Açude do Cedro14 na cidade de Quixadá, no Ceará.
1898/1900 – Seca atinge Pernambuco.
1909 – O governo de Nilo Peçanha cria o Instituto de Obras Contra as Secas (IOCS).
1915 – O Presidente Venceslau Brás na seca de 1915 reestruturou o Instituto de Obras Contra as Secas (IOCS), que passou a construir açudes de grandes portes. Com temor de saques, Campos de Concentração no Ceará foram criados para isolar a população faminta e impedir-lhe o movimento em direção as cidades.
1919 – O governo Epitácio Pessoa transforma o IOCS em DNOCS que recebeu ainda em 1919 pelo Decreto 13.687, o nome de Inspetoria Federal de Obras Contra as Secas (IFOCS) antes de assumir sua denominação atual, que lhe foi conferida em 1945 pelo Decreto-Lei 8.846 de 28 de dezembro de 1945, vindo a ser transformado em autarquia federal através da Lei n° 4229 de 1 de junho de 1963.
1930 – Região NE
1932 – Região NE. Reutilização dos Campos de Concentração no Ceará com plano de controle social.15
1953 – Região NE
1954 – Região NE
1958 – Região NE
1962 – Região NE
1963 – Grande parte do Brasil enfrenta uma forte e intensa estiagem, seguida de recordes de calor. Este foi o ano mais seco da história em várias cidades, como Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte.16 No Paraná a seca durou até janeiro do ano seguinte.17
1966 – Região NE
1970 – Seguida pelo início da construção do rodovia Transamazônica durante o período do chamado Milagre Econômico. Ação do governo militar do Brasil visa entre outros objetivos transferência de parte da população mais pobre do NE para as margens extensas da rodovia Transamazônica. O projeto também contribuía para a ocupação territorial da Amazônia pelo Estado brasileiro. Hoje a Transamazônica encontra-se parcialmente transitável.
Década de 1980 – A década é considerada chuvosa, sendo marcada por apenas dois períodos de estiagem, correspondentes aos anos de 1982 e 1983.

Rio Santo Antônio com nível baixo em outubro de 2007 na cidade de Naque, no Vale do Rio Doce, Minas Gerais (observe que há pessoas atravessando o rio a pé de uma margem à outra). Na ocasião, o estado enfrentava a pior seca de sua história.18
Década de 1990 – Os anos de 1993, 1996, 1997, 1998 e 1999 foram anos sofríveis. Um apontamento de tendência de seca em 1998 antecedeu sua ocorrência graças a observação do fenômeno El Niño por meteorologistas, mas as ações de precaução e prevenção continuaram a serem pouco efetivas na mitigação dos problemas.
2000 e 2001 – Anos de estiagem relativa.
2004-2006 – Estiagem na Região Sul do Brasil.
2005 – A região Amazônica enfrenta um período de estiagem intensa.
2007 – Transposição do Rio São Francisco iniciada.
2007 – Seca na porção norte de Minas Gerais, considerada a mais grave já enfrentada pelo estado.18 Praticamente não choveu na região entre março e novembro de 2007 e as precipitações seguiram-se abaixo da média climatológica até fevereiro de 2008.19 Centenas de municípios entraram em estado de emergência, registraram-se 53 976 focos de incêndio (recorde histórico para o estado)18 e 190 mil cabeças de gado morreram.19
2012 – Seca na Região Nordeste, considerada a mais intensa das três décadas anteriores.20 21 22
Referências

Via Profº Bosco

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*