Fórum da Saúde entrega pauta de prioridades aos candidatos a Governador

O Fórum em Defesa da Saúde Pública no Rio Grande do Norte está realizando na manhã desta segunda-feira, 1º, no Plenário da sede do Ministério Público Estadual, em Candelária, reunião com os candidatos a Governador do Estado para entrega de uma pauta de prioridades na área da saúde.

Confira abaixo a íntegra do documento apresentado aos candidatos:

1) Adoção de critérios eminentemente técnicos para nomeação do Secretário Estadual de Saúde, dos Coordenadores da SESAP, dos gerentes das URSAPs e dos diretores dos hospitais regionais, com a exclusão de nomes “ficha suja”, privilegiando servidores efetivos de carreira;

2) Descontingenciamento por parte da Secretaria de Planejamento e Finanças dos recursos destinados ao Fundo Estadual de Saúde, com a garantia de autonomia orçamentária-financeira do titular da Secretaria Estadual de Saúde;

3) Transparência e garantia do repasse de recursos próprios do Tesouro Estadual para o Fundo Estadual de Saúde, com datas certas mês a mês e possibilidade de amplo acesso destas informações por parte do controle social (conselhos de saúde, conselhos profissionais, OAB/RN e outros), de acordo com o orçamento aprovado para aquele exercício, sugerindo-se a disponibilização de uma senha do Sistema Integrado de Administração Financeira-SIAF;

4) Garantir o percentual mínimo de 15% do Orçamento Geral do Estado para recursos aplicados em ações sanitárias, com a devida previsão orçamentária-financeira e a participação de técnicos da SESAP/RN na elaboração Lei Orçamentária Anual-LOA e da Lei de Diretrizes Orçamentárias-LDO, adequando tal percentual às necessidades sanitárias e não ao mínimo previsto legalmente;

5) Implantar e desenvolver uma política de qualificação e racionalização dos hospitais regionais situados no interior do Estado, de forma que hospitais de baixa resolutividade ou com menos de 50 (cinquenta) leitos sejam convertidos em UPAs, Unidades Básicas ou outro dispositivo de saúde, dentro de um processo de municipalização, garantindo-se que os recursos materiais, humanos e insumos desses serviços sejam racionalizados e redimensionados para outros que assegurem a internação hospitalar, com estrutura que possibilite o estabelecimento e acompanhamento de metas e indicadores na execução de obras, aquisições de equipamentos e manutenção das instalações hospitalares, tudo em conformidade com a Política Nacional de Atenção Hospitalar. Nesse sentido, também desenvolver uma política de gestão do trabalho e de educação permanente para toda a rede estadual, que contribua para qualificação dos processos de trabalho em saúde;

6) Assunção, por parte da Gestão Estadual do SUS, na condição de coordenadora e articuladora da política sanitária no RN, da responsabilidade pela realização de concurso público unificado de base local para cargos da equipe de Estratégia de Saúde da Família-ESF, especialmente médico;

7) Adoção de medidas que confiram qualidade e resolutividade à atenção perinatal prestada no interior do Estado, pondo fim à conhecida “peregrinação” de gestantes e bebês em busca de serviços em cidades distantes. Para tanto, é absolutamente imprescindível que o Estado se empenhe em dar pleno cumprimento às metas e ações estratégicas previstas no Plano Operativo Estadual para a Redução da Mortalidade Infantil, editado em 2009, que estão distribuídas em seis diferentes eixos: a) qualificação da atenção ao pré-natal, parto e recém nascido; b) educação na saúde; c) gestão do trabalho e da informação; d) vigilância do óbito infantil; e) fortalecimento do controle social, mobilização e comunicação; e) produção de conhecimento e pesquisas;

08) Repasses regulares do Programa “Farmácia Básica” e da Atenção Básica por parte do Estado do Rio Grande do Norte aos seus municípios, com proposta de pagamento parcelado da dívida existente;

09) Retorno imediato de servidores da SESAP cedidos a outros órgãos estranhos à área de saúde, nos termos da Lei Complementar nº 141/12 e da Recomendação do MP/RN;

10) A realização de concurso público para a Rede Estadual de Saúde, com base no diagnóstico das necessidades de recursos humanos, para atender, de forma satisfatória, à população do SUS;

11) Reestruturação da carreira dos profissionais da SESAP prevendo os cargos necessários à chefia e coordenação com gratificações compatíveis com a função;

12) Firmar contratos de gestão entre a SESAP e unidades que compõem a rede, definindo metas e mecanismos de avaliação de desempenho e controle de resultados, com base no planejamento local e considerando as variáveis econômicas e sociais que possibilitem a sustentabilidade e manutenção das ações de saúde desenhadas;

13) Finalização das reformas dos hospitais iniciadas a partir do decreto de calamidade pública;

14) Resolução efetiva da inadimplência por parte do Estado do Rio Grande do Norte em relação a seus fornecedores;

15) Implantar efetivamente o Complexo Regulador do RN, com a inclusão de todos os leitos SUS do Estado;

16) Rever os contratos vigentes com as cooperativas médicas definindo a real necessidade de profissionais considerando o dimensionamento baseado em critérios técnicos, bem como adotar procedimentos para que as futuras contratações de cooperativas tenham suporte no dimensionamento realizado pelo setor competente na SESAP;

17) Desenvolver ações junto aos municípios de modo a que assumam as funções assistenciais, sobretudo na atenção básica e seu papel na regulação dos serviços de saúde afetos à sua população;

18) Adoção de controle e gerenciamento mais efetivo dos recursos da fonte 160, inclusive promovendo a delimitação de responsabilidade dos gestores dos projetos e ações relacionados a esses recursos e adotando monitoramento dos resultados alcançados, com a utilização desses recursos;

19) Garantir a continuidade na observância das Notas Técnicas, já produzidas pelo corpo técnico da SESAP, que estabelecem o fluxo de pacientes para os serviços nos hospitais estaduais, a exemplo da ortopedia para a região Metropolitana, de pacientes cirúrgicos e de pacientes clínicos entre hospitais gerais estaduais de referência da região metropolitana e Mossoró, e as unidades propositoras de referências (unidades municipais e hospitais regionais estaduais);

20) Construção do Hospital de Traumas.

Fonte: MPRN

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*