ESTOQUE DE EXTINTORES ABC É REDUZIDO

Os motoristas que ainda estão com extintores de incêndio tipo BC em seus veículos terão problemas para trocar os equipamentos antes do dia 1º de janeiro de 2015, quando o extintor tipo ABC será obrigatório. No Rio Grande do Norte, a grande maioria das lojas está sem os equipamentos disponíveis e, devido à alta demanda em todo o Brasil, a média de espera informada pelas distribuidoras é de dois meses. Até lá, motoristas estão sujeitos a multas de R$ 127,69 e cinco pontos na carteira de habilitação.

extintor

Aprovada em 2009, a nova resolução do Conselho Nacional de trânsito (Contran), que determina a mudança nos extintores, teve divulgação considerada ineficaz por alguns dos comerciantes que atuam na área. Para Euzimar Moisés, que é chefe de manutenção de uma empresa de extintores de incêndio de Natal, as lojas não tiveram tempo suficiente para formar estoques suficientes.

“Em dois meses, vendemos 720 extintores, sendo 120 de ontem para hoje. Passamos quase duas semanas sem esse tipo de extintor, mesmo tendo pedido com antecedência. Agora as distribuidoras dizem que a espera pode ser de dois a quatro meses, dependendo da quantidade. Isso poderia ser evitado se tivessem divulgado melhor a mudança”, disse Euzimar Moisés.

Segundo a vendedora Vera Lúcia, que também trabalha em uma loja de extintores em Natal, há três tamanhos de extintores ABC para veículos convencionais, mas todos estão em falta, desde os padrões até os específicos para cada carro.

“Até os 45 que tínhamos de 2kg, para caminhões, voaram de uma vez”, disse, denunciando ainda supostos abusos por parte de lojas do setor. “A média de preços é R$ 90, mas sabemos de pessoas que estão vendendo a R$ 130 e até R$ 145”, disse.

Com a alta demanda, algumas empresas tiveram dificuldade para vender os equipamentos. Edvaldo Ferreira, gerente de uma loja especializada em extintores de incêndio, disse que, só em um dia, a empresa vendeu quase 500 extintores do tipo ABC. “Mas o estoque zerou. Agora, só daqui a dois meses, que é quando as distribuidoras dizem ter condições de entregar os pedidos”, lamentou.

Pela nova norma, os extintores nos veículos devem ser do tipo ABC porque são eficazes no combate a fogo que se propaga por materiais sólidos, como bancos, tapetes e painéis. Os do tipo BC só serviam para eliminar chamas causadas por líquidos inflamáveis (gasolina, óleo diesel, querosene).

A regra é válida em todo o país e é aplicada a todos os veículos de passeio, camionetes, caminhões, ônibus, microônibus e triciclos de cabine fechada. No caso de descumprimento, se o extintor também estiver fora do prazo de validade ou dentro do saco plástico, o condutor comete uma infração grave, rendendo cinco pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 127,69.

Como está havendo escassez na oferta de extintores, alguns comerciantes estão aproveitando para aumentar os preços dos extintores. A prática, no entanto, é vedada por lei e, no caso do consumidor se sentir lesado, ele poderá acionar o Procon.

“Qualquer mudança de preço ou serviço sem justa causa é considerado abuisivo. O consumidor deve procurar o Procon caso perceba alguma aumento excessivo. (O Procon) Não pode estabelecer preço, mas o preço abusivo pode ser regulado pelo Procon e órgãos de defesa do consumidor”, explicou o coordenador do Procon/RN, Ney Lopes Júnior.

TN

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*