Entre as 300 melhores do Enem, nenhuma escola do RN emplacou

Ao todo, 11.239 escolas entraram na lista divulgada ao Inep, órgão vinculado ao Ministério da Educação

escola

As notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2012 por escola já podem ser consultadas no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Como já esperado, as escolas privadas e federais apresentaram melhor desempenho que as instituições da rede pública. A Guaratinguetá Colégio Técnico e Industrial, do estado de São Paulo, é a primeira entre as escolas públicas da rede estadual, ocupando a 208ª posição. Nenhuma escola do Rio Grande do Norte aparece na lista das 300 primeiras colocadas.

As notas consideram apenas as escolas que tiveram mais de dez participantes no Enem e com taxa de adesão dos alunos concluintes do Ensino Médio acima de 50%. Ao todo, 11.239 escolas entraram na lista divulgada ao Inep, órgão vinculado ao Ministério da Educação. As médias das redes federal, estadual, municipal e privada apresentaram melhora em ciências humanas e piora em linguagens em relação a 2011. Em matemática, ciências da natureza e redação, a variação foi pequena.

Na média geral por disciplina, o melhor desempenho foi em matemática (533,43); seguido por ciências humanas (533,18); redação (529,14); linguagens (502,52); e ciências da natureza (486,28). A plataforma criada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais traz, além das médias por área, a taxa de participação por escola e a distribuição percentual das proficiências dos participantes por área de conhecimento, incluindo a redação.

O MEC ainda criou um portal (mapaitensenem.inep.gov.br) onde o candidato pode ver a correlação da nota com as competências exigidas. Por causa da Teoria da Resposta ao Item (TRI), modelo matemático adotado pelo Enem na correção das questões, o número de questões acertadas nem sempre corresponde à pontuação final. A nota depende também das questões que o candidato acertou, uma vez que elas têm diferentes níveis de dificuldade.

Por meio do sistema online, os interessados poderão acessar itens das provas, explicações sobre o cálculo da nota e entender como ocorre a variação da c

omplexidade dos itens ao longo da chamada escala de proficiência. “O estudante terá acesso à descrição dos itens e saberá quais competências precisa melhorar”, destacou o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

Além disso, os participantes do teste podem visualizar as habilidades que provavelmente já desenvolveram. O mapa de itens associa cada questão a um ponto da escala de proficiência, que varia de 0 a 1000 pontos.

Assim, o estudante poderá verificar o grau de dificuldade em que um determinado item se encontra. Os participantes com proficiência acima dessa posição possuem maior probabilidade de respondê-lo corretamente. Aqueles com desempenho abaixo dessa posição têm menor probabilidade de respondê-lo corretamente.

Fonte: JH

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*