Empresas pagam R$ 138 milhões por 7 blocos de exploração de petróleo na costa potiguar

Rodada de licitação da ANP nesta quinta (29) ofereceu 13 blocos na Bacia Potiguar. Petroleiras ainda terão que investir mínimo de R$ 207,6 milhões na exploração.

plataforma

bacia potiguar teve sete blocos para exploração de petróleo e gás arrematados durante a 15ª rodada de licitação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), nesta quinta-feira (29). Ao todo, as petroleiras vão pagar de R$ 138,881 milhões pela exploração das áreas na costa potiguar e terão que investir no mínimo R$ 207,63 milhões na operação nestas áreas.

A rodada da ANP aconteceu no Rio de Janeiro, onde foram oferecidos 13 blocos marítimos da bacia do Rio Grande do Norte. A principal compradora da rodada no estado foi a alemã Wintershall Holding, que vai pagar R$ 98,2 milhões. As demais compradoras foram a Petrobras e a Shell, que arremataram juntas dois blocos (sendo a Petrobras operadora, com 60% de cada) e dois individualmente.

Os blocos oferecidos totalizavam 9.604,20 km². A porção marítima da Bacia Potiguar é classificada como bacia de “nova fronteira”, o que significa que possui áreas geologicamente pouco conhecidas e barreiras tecnológicas, ou do conhecimento, a serem vencidas.

De acordo com a ANP, a bacia potiguar é tradicional produtora de petróleo, tanto em terra como no mar, com predominância de geração de óleo. Em janeiro, foram produzidos nela 44.145 barris de petróleo por dia e 971 mil metros cúbicos diários de gás natural.

Ao todo, na 15ª Rodada de Licitações, são ofertados 68 blocos em 12 setores de sete bacias sedimentares do país.

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*