EMPARN PREVÊ QUE CHUVAS COMEÇARÃO MAIS CEDO

A seca que castiga o interior do Estado deve dar uma trégua a partir do próximo mês. De acordo com previsões da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), a quadra chuvosa – que geralmente inicia  no mês de março e segue até o mês de junho – pode ter início na segunda quinzena de dezembro. No entanto, as chuvas previstas ainda para este ano não serão suficientes para abastecer os reservatórios que estão em colapso.  O prognóstico é baseado em observações das frentes frias e temperatura do Oceano Atlântico.

emparne

A informação é do chefe do setor de meteorologia da Emparn, Gilmar Bistrot. Segundo o especialista, o Atlântico Norte tem apresentado, nos últimos meses, condições favoráveis para formação de chuvas na região Nordeste. “Há uma anomalia no Oceano com águas mais frias. Isso é importante para que haja uma influência no vento e possa fazer com que a zona de convergência desça para o Nordeste”, contou.

Ao mesmo tempo, a região Sudeste do país presencia a formação de frentes frias que favorecem o surgimento de chuvas. Essas frentes, já atuam também no Sul de alguns Estados do Nordeste, como Piauí, Maranhão e Bahia. Algumas chuvas já foram registradas nesses locais.

O somatório do resfriamento do Atlântico Norte – que desencadeia a formação de ventos e a descida da zona de convergência para o Nordeste – com as frentes frias oriundas do Sudeste resultarão, possivelmente, em chuvas no interior do Rio Grande do Norte. “Isso deve ocorrer na segunda quinzena de dezembro. As mudanças ocorrem devagar e podemos ter uma ocorrência prematura de chuvas especialmente no interior do Estado”, explicou Bistrot.

O meteorologista disse ainda que a previsão tem uma margem de erro e as chuvas não devem resolver o problema de colapso enfrentado na metade dos reservatórios do Estado. Atualmente, quatro municípios (Carnaúba dos Dantas, Rodolfo Fernandes, Tenente Ananias e  Paraná) estão em situação de colapso no abastecimento de água fornecido pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) em decorrência da escassez de água nos mananciais.

“Essas primeiras chuvas não vão resolver, a exemplo do que ocorreu em São Paulo, o problema dos reservatórios. As chuvas virão, mas não serão suficientes”, contou o meteorologista. Bistrot disse ainda que as chuvas devem ficar concentradas no interior do Estado. “As precipitações no Litoral só serão observadas em 2015”, pontuou.

El Nino
Se por um lado alguns fenômenos vão favorecer à antecipação da quadra chuvosa no interior do Estado, as previsões apontam também que o El Nino – evento climático que pode ser definido como o aquecimento anormal das águas  no Oceano Pacífico e enfraquecimento dos ventos alísios – deve interferir na continuidade das precipitações a partir do fim do mês de abril.

“De acordo com o quadro atual, teremos o fenômeno El Nino ocorrendo e impossibilitando mais precipitações em maio”, informou Gilmar Bistrot. Ou seja, a quadra chuvosa, pelo menos no interior do RN, deve iniciar mais cedo, mas não vai se prolongar até o mês de junho.

Todas as previsões e prognósticos apontados pelo meteorologista da Emparn serão avaliados na próxima reunião com os meteorologistas do Nordeste. O encontro ainda não tem data e local definidos. Da reunião, sairá a previsão final para o inverno no semiárido nordestino. “Somente com outras informações dos meses de novembro e dezembro, poderemos definir um prognóstico mais detalhado”, disse Bistrot.

TN

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*