Detran atende mais de 2.600 pessoas em 7 dias

 

Somente nos primeiros sete dias do ano de 2014, o Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Norte (Detran/RN) chegou a 2.653 atendimentos nas centrais do cidadão e na sede do órgão. O número é inferior ao registrado no ano anterior, que ficou na marca dos 3.778 atendimentos. Porém, os problemas não acompanharam a redução dos números. Desde o final do ano passado, as filas aumentaram no órgão de trânsito potiguar.

Ontem, o operador de máquinas Antônio Paulo da Silva,  54, era um dos primeiros da grande fila que se formava pelo corredor do Shopping Via Direta. Eram 11h15, mas ele estava no local desde às 7h. “Aqui é a passos de tartaruga”, definiu ele. Antônio precisava tirar a CNH, uma verdadeira saga após ter tentado três vezes a retirada do documento na zona Norte e mais três vezes na época que a Central do Cidadão da Cidade Alta ainda funcionava.

“São uns seis meses tentando já. É um teste de paciência. E está demorando tanto porque trabalho à noite e tenho que dormir de manhã, então pela demora eu sempre desistia. Tenho que resolver hoje [ontem] porque volto de férias amanhã [hoje]”, disse Antônio, que mora no bairro de Nossa Senhora da Apresentação, na zona Norte. É um efeito dominó. Com a grande demanda no Detran, o “Pag Fácil”, banco usado para pagar as contas referentes à central do cidadão, também apresentava uma grande fila.

Até às 12h de ontem, filas também era vistas na sede do Detran. Na última terça-feira e também na sexta-feira da semana passada, o sistema do órgão saiu do ar por diversas vezes. A instabilidade também gerou filas quilométricas e muita reclamação. Mas a administração do Detran garante que o causador de tantas filas não é esse. “Dependemos de seis sistemas, quando temos problemas num, todo o serviço é afetado. Mas tudo já foi resolvido”, declarou o diretor geral, Willy Saldanha.

Ele diz que para tentar diminuir os transtornos, o Detran promove mutirões no interior e na capital, aos finais de semana. Segundo Saldanha, na primeira semana houve redução nos números. A demanda sempre aumenta entre o final e início de ano.

“O governo anunciou a suspensão da isenção do IPI e houve a maior compra de veículos e quem compra quer tirar a CNH. Ainda tem o simulador nas autoescolas, que causa um reajuste nos custos do aluno. E teve as férias, muita gente vem nessa época. Por isso é natural esse aumento”, justificou ele.

Fonte: TN

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*