Mesmo com os esforços  conjuntos dos entes municipais, estaduais e federal, o alcance da cobertura na Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, até o momento, atingiu a média de 64% no país; no Nordeste apenas 63% e no Rio Grande do Norte 65,6%. Diante do baixo índice, o Ministério da Saúde decidiu prorrogar a campanha até o dia 9 de junho.

“Contamos com a adesão da população, e o empenho que já vem sendo oferecido pelas equipes de vacinação, para conseguirmos vacinar os 90% de nossos grupos prioritários. Reforçamos que esta vacinação contribui para a redução das complicações, internações e consequentemente da mortalidade decorrente das infecções pelo vírus da gripe nos grupos alvos definidos”, destaca Katiucia Roseli coordenadora do Programa Estadual de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde Pública.

Balanço do Ministério da Saúde indica que, até quarta-feira (24), apenas 592,6 mil pessoas se vacinaram no estado do Rio Grande do Norte. Esse total considera todos os grupos com indicação para a vacina, incluindo população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas com comorbidades. O público-alvo da campanha no estado, que não considera esses grupos, é de 719,5 mil pessoas. Desse total, 64,9% foram vacinados.

Em todo o país, apenas 35,1 milhões de pessoas foram vacinadas, incluindo a população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas com comorbidades. O público-alvo da campanha no país, que não considera esses grupos, é de 54,2 milhões de pessoas. Desse total, 63,6% foram vacinados.

A campanha terminaria hoje (26) e a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde é vacinar 90% desse público. Para isso, a pasta adquiriu 60 milhões de doses da vacina, garantindo estoque suficiente para a vacinação em todo o país. A coordenadora Nacional do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, alerta sobre a importância do público-alvo se imunizar dentro do prazo de vacinação para evitar a gripe e seus possíveis agravamentos.

No estado do Rio Grande do Norte, a adesão do público-alvo está em 55,6% entre as crianças; 69,6% trabalhadores de saúde; 60,9% gestantes; 68,7% puérperas; 85,4% indígenas; 69% idosos; e 62,5% entre os professores. Entre as regiões do país, o Sul apresentou o melhor desempenho em relação à cobertura vacinal contra a influenza, com 76,3%, seguida pelas regiões Centro-Oeste (63,7%), Nordeste (62,3%), Sudeste (61%); e Norte (58,1%).

A vacina contra a gripe está disponível nos postos de vacinação para crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; povos indígenas; gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais, além dos professores, que são a novidade deste ano.

Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, devem apresentar prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica. A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

 Novo Jornal