Análise das condições climáticas e pluviométricas referentes à primeira quinzena de maio de 2015

A gerência de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN) concluiu a análise referente às condições termodinâmicas dos oceanos durante a 1ª quinzena de maio/15. De acordo com os meteorologistas, o quadro evidencia de forma bastante clara a presença do Fenômeno El Niño em toda a extensão do Oceano Pacífico, com anomalias de até +3°C próximas à costa da América do Sul. Essas águas mais aquecidas influenciaram de forma indireta na diminuição das chuvas sobre o Estado do Rio Grande do Norte, tanto na segunda quinzena de abril, como nas primeiras duas semanas de maio.

Essa condição favoreceu o aumento de chuva sobre a parte oeste da Região Norte do Brasil, causando como consequência, a formação de uma massa de ar seco sobre o Estado e diminuindo a ocorrência de chuvas. No Oceano Atlântico, enquanto que no setor sul houve predominância de águas mais aquecidas, no setor norte as águas continuaram mais frias do que o normal. Essa condição deveria ser favorável tanto para a permanência da Zona de Convergência Intertropical próxima à região, como para ocasionar chuvas regulares, entretanto, conforme o monitoramento pluviométrico, as chuvas, além de poucas, tiveram um comportamento bastante irregular.

Monitoramento das chuvas na primeira quinzena de maio

Maio é climatologicamente o último mês do período chuvoso para a região semiárida do Estado. Normalmente, dependendo das condições oceânicas/atmosféricas, a Zona de Convergência Intertropical começa a se deslocar para o Hemisfério Norte, diminuindo as instabilidades atmosféricas sobre a região. Nesse mês, também é comum a ocorrência de chuvas no setor Leste do Nordeste, devido às instabilidades de origem oceânica. No entanto, as análises atmosféricas e o monitoramento pluviométrico mostram que a presença do Fenômeno El Niño tem atrapalhado a ocorrência de chuvas em praticamente todo o Estado durante essa primeira quinzena.

Na análise dos desvios percentuais foi observada a predominância de desvios negativos superiores a -50%, significando que em grande parte do Estado choveu menos do que a metade da climatologia. Somente em algumas áreas isoladas é que os desvios percentuais ficaram próximos de zero.

Análise das Chuvas Acumuladas de 1º de janeiro a 13 de maio

Predominaram índices pluviométricos entre 300 e 400 mm. Em algumas áreas como o Litoral Leste, Região de Angicos e Alto Oeste, os índices ultrapassam os 500mm. Por outro lado, é possível ver que em grande parte do Agreste, Litoral Nordeste e Seridó Oriental, os índices pluviométricos acumulados no período não superaram os 300mm.

Na análise dos desvios percentuais entre a chuva ocorrida e a climatologia para o período de 1º de janeiro até o dia 13 de maio de 2015, observa-se uma predominância de desvios percentuais negativos abrangendo praticamente todo o Estado, com exceção da Microrregião Baixa Verde, que apresentou desvios positivos. Destaque para os altos desvios negativos observados nas regiões do Agreste, Chapada do Apodi, Alto Oeste e Litoral Leste.

Previsão para o período de 15 a 22 de Maio

 

O quadro de poucas chuvas apresentado nas últimas semanas sobre a faixa litorânea leste do Estado deverá ser modificado com a ocorrência de boas chuvas na região. Valores próximos de 100mm deverão ocorrer durante a próxima semana. No interior do Estado, também devem ocorrer chuvas, só que em menor quantidade.

 

 

 

EMPARN – Gerência de Transferência de Tecnologias e Comunicação

– Assessoria de Comunicação –

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*