ALEXANDRIA: “DIMINUIÇÃO DA VIOLÊNCIA TRÁS TRANQUILIDADE E AJUDA A ECONOMIA”, DIZ AROLDO CHAVES.

Enquanto a violência assola todas as regiões do estado do Rio Grande do Norte, em Alexandria o caminho é contrário. Com nítida redução da criminalidade, o município vive tempos de calmaria e tranquilidade.

O delegado de Alexandria, Aroldo Sales Chaves Júnior, concedeu entrevista ao blog rnpoliticaemdia, onde explanou este tema e outras questões.

aroldo chaves

Fonte: http://rnpoliticaemdia2012.blogspot.com.br/

COMO O SENHOR ANALISA A VISÍVEL DIMINUIÇÃO DA VIOLÊNCIA EM ALEXANDRIA, ENQUANTO QUE EM QUASE TODAS AS CIDADES, O ÍNDICE DE CRIMINALIDADE CRESCE ASSUSTADORAMENTE?

Acredito que seja reflexo do sério e árduo trabalho que já vem sendo realizado por todos os órgãos de segurança, juntamente com o MP  judiciário da cidade. Então, hoje estamos colhendo os frutos, mas é um processo de longo prazo que hoje ver-se os resultados positivos.
O fato de termos aqui em Alexandria, uma delegacia que funciona diariamente, ser sede de uma Companhia da Polícia Militar, um juiz de direito presente no município e uma promotora também permanente no município. Todo esse efetivo trabalha diariamente, voltando-se seus trabalhos para o bem da coletividade, que propicia uma melhor segurança pública.
os números não mentem. Este blog, inclusive, veiculou informações dias atrás, a cerca exatamente desta diminuição drástica dos índices de violência na nossa cidade. E, contra fatos, contra números, não há o que contestar. Hoje, não tem como negar, que Alexandria tem um dos menores índices de criminalidade do estado do Rio Grande do Norte. E é bom lembrar, que o município de Alexandria é um das maiores do oeste do Rio Grande do Norte.

SABEMOS QUE EM TEMPOS IDOS, ALEXANDRIA ERA CONHECIDA COMO VIOLENTA. VER O CENÁRIO DE TRANQUILIDADE QUE OBSERVAMOS NOS DIAS ATUAIS, É MOTIVO DE MUITA SATISFAÇÃO PARA OS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA PÚBLICA, CONCORDA?

Com certeza. É com grande satisfação que vemos  nossos esforços se transformarem em paz e qualidade de vida para a sociedade. Por exemplo, ver famílias nas calçadas, conversando durante o período noturno, um fato que era tão comum nas cidades interioranas, e que refletia a tranquilidade de uma vida de paz, tornou-se difícil de ver nesta onda assustadora de violência por qual passa o país e em especial do Rio Grande do Norte. Muitas vezes, ao fazer ronda noturnas, presenciamos na nossa cidade esse costume,vizinhos descontraídos, em suas calçadas, como se via antigamente. Costume que infelizmente se tornou raro, mesmo em cidades de menor porte, dada a essa onda de violência que enfrenta a sociedade potiguar e brasileira. E é exatamente esta conquista de resgate da paz e do sossego que nos fortalece para continuar nossa caminhada.

O SENHOR EXERCE A FUNÇÃO DE DELEGADO, POR DOIS ANOS, APROXIMADAMENTE, DE TRABALHO NO MUNICÍPIO DE ALEXANDRIA. QUAIS OS MÉTODOS ADOTADOS QUE PROPORCIONARAM EM VER O OPOSTO DO QUE SE VERIFICA EM TANTAS E TANTAS OUTRAS CIDADES?

Acredito que não seja um método em si, mas toda uma filosofia de trabalho voltada a efetivação de uma política de segurança pública. Onde buscamos ajudar nossa co-irmã Polícia Militar no seu trabalho preventivo, tanto realizando rondas ostencivas,  como fornecendos dados que depois de analisados, podem serem usados para traçar planos de ação que levem a uma maior eficácia do trabalho ostencivo e preventivo realizado dela Polícia Militar.
A harmonização da relação entre as esferas que componhem a persecução penal também é fundamental para garantir o sucesso de qualquer plano de segurança pública. Pois, sem essa harmonia a idéia, errônea, que a polícia prende mas a justiça solta, tende a se perpetuar, o que leva a uma sensação de impunidade. Que termina por acarretar, na sociedade um sentimento de medo e injustiça e nos  delinquentes a certeza  que o crime compensa e essa certeza em muito contribuia para essa onda de violência desenfreada que ver-se hoje.  Quando há uma punição exemplar, o delinquente que está preste a cometer qualquer delito, e ver o “coleguinha” ser penalizado pelas normas vigentes, que é condenado e permanece preso, raciocina duas vezes antes de cometer um crime, bem como o que só é posto em liberdade após realmente pagar o mal que fez a sociedade, tenda a não reencidir.
Friso ainda a aplicação de métodos modernos de investigação aliados ao trabalho obstinado da equipe de policiais que compõe a 8ª Delegacia Regional de Polícia de Alexandria, que sem os quais seria impossível, Alexandria alcançar os baixos índices de criminalidade que hoje apresenta.

A RELAÇÃO POLÍCIA CIVIL/MILITAR, COMO É VISTA PELO DELEGADO AROLDO, HOJE?

Felizmente temos duas policias co-irmãs. Não cito isso, por questão de boa convivência. Digo no mais claro e límpido sentido do termo. Trabalhamos verdadeiramente atreladas uma a outra. Apesar de se ter efetivos muito reduzidos, tanto na PC como na PM, procuramos nos desdobrar, para ver o êxito do nosso trabalho, das nossas atribuições. Na verdade, a polícia militar e civil se completam.
Acrescento a essa miscigenação das duas forças policiais, o trabalho do Ministério Público e do judiciário. É aquela história: polícias prendem, Ministério Público denuncia e judiciário mantém preso.
Em 2016, vivenciamos uma série de roubos. Porém, quanto essa quadrilha foi presa, em uma operação entre as polícias civil e militar, todos os elementos desta associação criminosa foram presos e lá permanecem, já sentenciados, cumprindo pena. Aqui, não tem-se tempo de prescrever pena ou habeas corpus por excesso de prazo. Todas as esferas funcionam exatamente para coibir essa questão. A agilidade para que tudo caminhe como tem de ser, é um objetivo alcançado, sempre.

COMO É POSSÍVEL COLHER FRUTOS DE TAMANHA IMPORTÂNCIA, QUANTO SE TEM CONSTANTEMENTE SALÁRIOS ATRASADOS E POUCO EFETIVO?

No grande incentivador é a sociedade. São estes índices que ver-se refletido no rosto dos cidadãos desta cidade, convictos de que aqui estão seguros. É muito gratificante ver nosso serviço reconhecido.
Infelizmente, estamos assistindo o estado do Rio Grande do Norte e o próprio país, afundado em uma crise financeira, política e administrativa. Por exemplo, eu mesmo sou delegado faz dois anos e enfrento atrasos salariais por cerca de 20 meses. Ou seja, 1 ano e 8 meses do período de 2 anos que tenho como delegado de polícia civil.
Observe, que até mesmo para fazer uma simples reforma no prédio da delegacia, somente foi possível, devido uma parceria com o judiciário. Já para aumentar o número de câmeras na cidade de vigilância, tivemos que recorrer também ao judiciário. O estado está ficando aquém do que se precisa. Falta investimentos. Os motivos são além da minha alçada para explicar.
E existe a expectativa que se fechem delegacias em cidades menores, para otimizar os profissionais em municípios maiores. Isso é algo que em muitos vai prejudicar o trabalho da polícia.
Hoje, a política pública do estado em termos de política pública, está devendo e muito a população potiguar. Enquanto os bandidos se armam cada dia mais fortemente, a polícia tem que responder à altura. Contudo, isso somente será possível, se nos for dado condições de trabalho. Se a polícia não tiver como enfrentar a criminalidade, como ficará a sociedade?

A DIMINUIÇÃO DA VIOLÊNCIA TRÁS INÚMEROS BENEFÍCIOS. E, MUITAS VEZES UM PONTO INTERESSANTE É ESQUECIDO POR GRANDE PARTE DA POPULAÇÃO. EM UM MUNICÍPIO ONDE A CRIMINALIDADE É DE BAIXOS ÍNDICES, A ECONOMIA TENDE A MELHORAR. ISSO É UM FATOR QUE PASSA A SER TAMBÉM DE GRANDE VALIA AO PODER PÚBLICO. EXISTE ESTA MÃO DUPLA ENTRE PODER PÚBLICO E POLÍCIA NA CIDADE DE ALEXANDRIA?

A segurança pública, como reza a Constituição Federal, nossa Lei Maior, é um direito de todos. Mas também é um dever de todos. Não só da esfera federal, estadual ou municipal, mas também da própria sociedade. Aqui em Alexandria, entendemos que os recursos municipais, não são diferentes de outras cidades. Estão, como os demais, comprometidos. Mas sempre que acionada, a prefeitura tem se mostrou uma parceira da Polícia Civil, atendendo nossas solicitações na medida de suas possibilidades orçamentárias. A própria reforma que citei anteriormente, teve a mão de obra cedida pelo poder municipal. Outras necessidades como consertos em viaturas e até algumas refeições, são oferecidas pela prefeitura, como forma de nos ajudar a garantir uma melhor qualidade em segurança para todos os alexandrienses. É uma parceria fundamental e de grande importância para um melhor trabalho, diante das dificuldades enfrentadas, pelos órgãos da segurança pública.

COMO É A RELAÇÃO DELEGACIA DE ALEXANDRIA E CHEFIA DE POLÍCIA CIVIL DO ESTADO?

Muita boa. A chefia da PC tem reconhecido o trabalho realizado na cidade e tenta, mesmo diante de tantas dificuldades, fornecer as condições para que possamos manter e mesmo melhorar, o trabalho que vem sendo realizado.
Alexandria tem sido vista com bons olhos, diante do panorama que citei anteriormente, que é a diminuição dos índices de criminalidade.

O SEU NOME JÁ TERIA SIDO VENTILADO PARA OUTRAS CIDADES DE PORTE MAIOR QUE ALEXANDRIA. INCLUSIVE QUE UMA DELEGACIA ESPECIALIZADA DE MOSSORÓ SERIA UMA DAS VERTENTES ONDE O SENHOR PODERIA DESEMPENHAR SUAS FUNÇÕES. TEM VERACIDADE ESSAS INFORMAÇÕES?

Realmente, meu nome foi citado para assumir outras delegacias do Estado, inclusive de cidades de maior porte. Porém, vejo que minha missão não foi concluído aqui em Alexandria, pois acredito que ainda possa contribuir para a segurança pública dessa cidade de me recebeu de forma tão hospitaleira e afetuosa a 2 anos quando aqui cheguei, para assumir essa minha nova missão, tenho uma divida de gratidão, para com Alexandria e irei paga-lá trabalhando arduamente em prol dessa sociedade que merece viver em paz.

TER SIDO POLICIAL CIVIL EM PERNAMBUCO, ATÉ ONDE CONTRIBUÍDO PARA O TRABALHO EXITOSO QUE VEM DESEMPENHANDO COMO DELEGADO NO RN?

Ter exercido o papel de policial civil em Pernambuco, me concedeu um alicerce, não só na parte operacional, como administrativa e de gestão. Pois, desempenhei meu trabalho desde o   CORE, que é o setor mais operacional da Polícia Civil de PE, até na diretoria da polícia do interior, setor responsável pela gestão de toda polícia civil do sertão pernambucano.
Tive a experiência de ser comandado, como policial em Pernambuco, E agora, comandando, como aqui o  faço, procuramos fazer o meu trabalho da melhor forma possível. O que não é mérito e sim obrigação de todo servidor público.

COMO O SENHOR VER O SERVIÇO ÁRDUO DESEMPENHADO PELA DELEGADA SHEILA FREITAS, COMO SECRETÁRIA DE SEGURANÇA PÚBLICA?

É preciso frisar antes de qualquer coisa, que Dra. Sheila Fretas é um exemplo. Um exemplo que deve sim ser seguido. Ela luta pela segurança pública. Abdica da sua própria vida, em prol da segurança pública. Não tenho nenhuma dúvida, que a escolha de Dra. Sheila como secretário, foi uma das atitudes mais acertadas que o governador tomou. A secretária dra. Sheila não é partidária de nenhuma das polícias. Ela é partidária da segurança pública do estado do Rio Grande do Norte. O trabalho que ela difunde, com os poucos recursos que dispõe, já pode ser classificado como incrível. A população não tem acesso a informações que nós policiais temos. Para dar um exemplo, observemos que as fugas diminuíram em todo o RN e se for dado condições, não tenho dúvidas do êxito pleno da nossa comandante, à frente da secretaria de segurança do estado.

QUAL O SEU “RECADO” A SOCIEDADE ALEXANDRIENSE E A BANDIDAGEM.

Inicialmente para a sociedade, digo que estaremos sempre á disposição para o servir. Esse é e deve ser o nosso papel. Defender nossos cidadãos, é obrigatoriedade sair em defesa dela, contra aqueles que querem o seu mal.
Para a bandidagem, que lembrem-se que a polícia está sempre em alerta, de prontidão. O delinquente, aqui, pode escapar por uma oportunidade, duas, três, mas vai cair e quando isso acontecer, vai ser preso e continuar preso.

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*